*

A capital mineira é a 10ª colocada no Ranking Connected Smart Cities 2020, mais importante estudo de cidades do país. Belo Horizonte também se classificou em 3º lugar nos indicadores de Saúde, além da 6ª posição no Ranking Região Sudeste

De 08 a10 de setembro último aconteceu o evento nacional Connected Smart Cities e Mobility Digital Xperience 2020, mais importante iniciativa de cidades e mobilidade do Brasil e que, em função da pandemia da Covid-19, será apresentado no formato 100% virtual e por meio de plataforma dedicada.

Durante a Cerimônia de Abertura do evento, que contou com a participação de autoridades, representantes de empresas e especialistas nacionais e internacionais, foi divulgado o resultado do Ranking Connected Smart Cities 2020. O estudo, elaborado pela Urban Systems, em parceria com a Necta, está na 6ª edição e mapeia todos os 673 municípios com mais de 50 mil habitantes, com o objetivo de definir as cidades com maior potencial de desenvolvimento do Brasil.

Na classificação Geral, Belo Horizonte está na 10ª posição do Ranking Connected Smart Cities 2020. A primeira colocada no Ranking Geral foi São Paulo (SP); seguida por Florianópolis (SC); Curitiba (PR); e Campinas (SP). Na 5ª colocação está Vitória (ES); seguida por São Caetano do Sul (SP); Santos (SP); e Brasília (DF), em 9ª posição.

Além do décimo lugar como a cidade mais inteligente e conectada do Brasil, Belo Horizonte se destacou, ainda, com o 3º lugar em Saúde; 6º no Ranking Região Sudeste; 7º em Cidades com mais de 500 mil habitantes; e 8º lugar em Tecnologia e Inovação.

A partir da edição 2019, o Ranking incorporou conceitos e novos indicadores baseados na ISO 37122 – Sustainable Cities And Communities – Indicators For Smart Cities, mantendo-se como a melhor referência para comparação e análise de cidades inteligentes no Brasil. O resultado é apresentado em 4 frentes: geral, por eixo temático, por região e por faixa populacional. O estudo é composto por indicadores de 11 principais setores: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo, governança e energia, mesmos eixos temáticos do evento nacional Connected Smart Cities.

“Nesses seis anos de atuação, a Plataforma Connected Smart Cities vem desempenhando papel fundamental junto às empresas, entidades e governos na busca pela inovação, tendo como objetivo fundamental tornar as cidades brasileiras mais inteligentes e conectadas, principalmente no atual momento de pandemia da Covid-19”, comenta a CEO da Necta e idealizadora do Connected Smart Cities e Mobility, Paula Faria.

BELO HORIZONTE EM NÚMEROS

Com destaque em Saúde, Tecnologia e Empreendedorismo, Belo Horizonte atinge a 10ª posição do Ranking Connected Smart Cities.

A cidade registrou investimento per capita de R$1.314em saúde (no período anterior foi de R$ 1.174), cobertura de 80,8% da população pela equipe da saúde da família, conta com 433 médicos para cada 100 mil habitantes e taxa de 6 óbitos a cada mil nascido vivos.

Em tecnologia e empreendedorismo, destaca-se a existência de um parque tecnológico, 5 incubadoras de empresa, crescimento de 0,9% das empresas de tecnologia, 97 ligações à internet para cada 100 habitantes (eram 32 na pesquisa anterior), depósito de 88 patentes para cada cem mil habitantes no período (eram 13,6 no ano anterior), um percentual de 44,3% das conexões com velocidade superior a 34 mb e 5% dos empregos formais ocupados no setor de educação, pesquisa e desenvolvimento.

DESTAQUES DO RANKING CONNECTED SMART CITIES 2020

A região Sudeste concentra as cidades mais inteligentes e conectadas, sendo seis municípios entre os 10 mais bem colocados (em 2019 foram seis e, 2018, sete). Três municípios são da região Sul e um do Centro-Oeste, sendo que as regiões Norte e Nordeste não têm representante entre os 10 melhores. Palmas (TO) está na 32ª colocação no Ranking Geral e Recife (PE) na 15ª. Na classificação por região, destacam-se: no Centro-Oeste, Brasília (DF) com a 1ª colocação no Ranking Connected Smart Cities; no Nordeste, Recife (PE); no Norte, Palmas (TO); no Sudeste: São Paulo (SP); e no Sul: Florianópolis (PR). Jaguariúna (SP) é o destaque das cidades entre 50 e 100 mil habitantes; de 100 a 500 mil: Vitória (ES); e acima de 500 mil habitantes: São Paulo (SP).

Para o Presidente da Urban Systems e sócio da Plataforma Connected Smart Cities, Thomaz Assumpção, o Ranking Connected Smart Cities ano a ano vem auxiliando as cidades a entenderem o seu nível de desenvolvimento inteligente e sustentável, oferecendo parâmetros para que as cidades possam se planejar e criar estratégias para tornarem-se mais humanas e propiciar qualidade de vida a seus habitantes.

“A edição 2020, diferentemente de outros anos, apresentou uma menor movimentação das cidades nas primeiras posições, refletindo a preocupação cada vez maior das cidades brasileiras em manterem e melhorarem seus indicadores. Destaque para o setor de tecnologia e inovação, que apresentaram melhora nos itens de infraestrutura e no setor de educação, que apresentou mais cidades com crescimento em seus indicadores”, enfatizou.

OS VENCEDORES POR EIXO TEMÁTICO

O primeiro lugar em Urbanismo foi para Curitiba; Mobilidade e Acessibilidade: São Paulo (SP); Meio Ambiente: Santos (SP); Empreendedorismo: Rio de Janeiro (RJ); Economia: Barueri (SP); Tecnologia e Inovação: São Paulo (SP); Saúde: Vitória (ES); Educação: São Caetano do Sul (SP); Segurança: Ipojuca (PE); e Governança: Balneário Camboriú (SC).

HISTÓRICO