O Grupo São Marcos, que há quase 80 anos é referência em medicina diagnóstica em Belo Horizonte (MG), passará a integrar a rede de laboratórios da Dasa, líder no Brasil e na América Latina do setor. A união, que já era negociada desde agosto de 2019, marcará a chegada da Dasa em Minas Gerais, estado onde ainda não atuava com unidades próprias. Com quase 80 unidades de atendimento, o São Marcos realiza mais de 18 milhões de exames de análises clínicas, imagens, anatomia patológica, testes genéticos, além de serviço de vacinas.

“Nossa união à Dasa é estratégica e ocorre em um momento muito importante para a saúde. Estamos animados em conseguir trocar experiências no mercado de saúde ao lado de um parceiro que preserva os modelos de excelência nas integrações que realiza e continuar a participar desta trajetória que começou há quase 80 anos”, conta Claudio Cerqueira, médico patologista e sócio do Grupo São Marcos que continuará no negócio em papel consultivo.

Com completa gama de soluções em saúde com foco no paciente final, assim como a Dasa, o Grupo São Marcos também atua no mercado B2B e reúne quase 500 clientes. Essa operação para laboratórios clientes terá continuidade de forma segregada na planta de Belo Horizonte, que possui automação total com esteiras, toxicologia e biologia molecular, ampliando a capacidade da Dasa. “Estamos muito felizes por essa integração que permitirá unir os mais de 1.000 colaboradores do São Marcos aos mais de 24 mil profissionais da Dasa nesse momento tão desafiador à saúde mundial. A integração possibilitará ampliar nossa atuação e trocar experiências e conhecimento”, explica Carlos de Barros, CEO da Dasa.

A maior parte das 80 unidades do Grupo São Marcos estão em Belo Horizonte e região metropolitana. Possui ainda 10 unidades no ABC e capital de SP (São Paulo, São Bernardo do Campo, Santo André, Mauá, Ribeirão Pires e Diadema). Em 2019, a Dasa processou mais de 270 milhões de exames. Em novembro do mesmo ano, a empresa anunciou a união com a Ímpar, segunda maior rede independente de hospitais do Brasil, que reúne centros focados em medicina de alta complexidade como 9 de Julho (SP), São Lucas (RJ) e Hospital Águas Claras (DF). Faz parte do ecossistema, ainda, a GSC, uma Integradora de Saúde, com 21 anos de atuação em coordenação de cuidado e gestão de saúde.

O negócio ainda está sujeito à aprovação dos órgãos regulatórios.