Instituição notou grande engajamento entre os colaboradores durante a pandemia

O Banco BMG adotou oficialmente o home office até o fim deste ano para todos os colaboradores do setor corporativo. De acordo com a instituição, a decisão visa minimizar a circulação e exposição de pessoas, preservando assim a saúde e bem-estar não só do quadro de funcionários, mas de suas famílias e sociedade. O trabalho remoto foi aderido pela empresa ainda em março, quando mais de mil pessoas passaram a realizar seus serviços de casa.

Para a presidente do banco, Ana Karina Bortoni Dias, é inegável que o cenário pós-Covid 19 será formado por um novo normal. “Boa parte da população mudou a forma de encarar o trabalho e o consumo, por exemplo”, afirma a executiva. Ela conta que antes da pandemia existia, em todo o ambiente corporativo, uma certa restrição em se falar em home office. “Essas barreiras psicológicas foram quebradas da noite para o dia. O trabalho em casa funciona bem quando há boas estratégias para manter os colaboradores engajados”, explica.

Anúncio

De acordo com Ana Karina, a observação do BMG é de que a produtividade dos funcionários se manteve igual, e em alguns casos até aumentou, durante o período de isolamento social. “Uma das explicações é que o banco se manteve muito próximo dos colaboradores, como sempre foi. Fizemos uma comunicação transparente, nos comprometemos a não demitir ninguém por questões relacionadas à crise e oferecemos todas as ferramentas para que a pessoa mantivesse sua rotina de trabalho em sua casa”.

Logo quando o home office foi adotado, o banco liberou as cadeiras de trabalho para que os funcionários as levassem para casa, proporcionando maior conforto no dia a dia da nova rotina, e substituiu o vale transporte por um valor mensal para auxílio com a conta de internet. A instituição também passou a oferecer aulas de ginástica laboral, de forma gratuita, para os colaboradores. Essas atividades previnem a má postura, esforço repetitivo e ainda contribuem com uma saúde corporal e mental melhor durante o trabalho.

esde o início da pandemia, o BMG acelerou seu processo de transformação organizacional, que já visava modernizar a relação entre a instituição e os colaboradores. Os principais pilares foram investimentos em tecnologia, especificamente em sistemas, acessos e equipamentos, e em gestão: os funcionários são convidados periodicamente a participarem do “Ao Vivo com a Liderança”, em que têm um canal aberto de conversa e feedback com a diretoria.

Para 2021, o BMG planeja um esquema híbrido de serviço, que abrangerá tanto a presença física do funcionário, em dias variados da semana, no escritório quanto o trabalho em home office. “Temos que levar em conta as necessidades dos funcionários. Alguns preferem um, dois ou três dias de casa, outros querem comparecer todos os dias”, diz Ana Karina.

Desta maneira, os escritórios ganharão uma nova forma, mais enxuta e moderna. Entre as ações, há a expectativa de redução de andares e conjuntos, aumento dos “open spaces” e dos espaços de convivência, formatos que atendem melhor à nova dinâmica de trabalho.

 O Banco BMG é especialista na oferta de produtos e serviços financeiros adequados às necessidades de seus clientes. Com 89 anos de atuação, se consolidou no financiamento ao consumo de pessoas físicas. Com mais de 4 milhões de clientes ativos, disponibiliza um amplo portfólio de soluções por meio de seu banco digital ‘meu_BMG’, sua rede de atendimento física – composta por mais de 800 lojas help! Loja de Crédito e mais de 2 mil correspondentes bancários em todo território nacional.  O grupo ainda mantém a BMG Invest com foco em renda fixa; o BMG Seguros, direcionada exclusivamente ao Seguro Garantia; e parte da subadquirente BMG Granito.