Em audiência no comitê de serviços financeiros da Câmara dos Representantes em 17 de junho, o presidente do Fed, Jerome Powell, afirmou que alguns indicadores de nível de atividade, como o consumo e o emprego, mostram alguma recuperação econômica, com a abertura de segmentos de empresas. Ele espera a continuidade da queda da taxa de desemprego ao longo dos próximos meses. A confiança plena na recuperação virá com o controle da doença.

Jerome Powell destacou que o Fed está “comprometido para empregar todos os instrumentos de política monetária para enfrentar a pandemia.” O objetivo da política monetária é levar a economia para a maior geração de postos de trabalho possível e fazer com que a taxa de desemprego volte para 3,5%. Ele ressaltou que manterá as compras de títulos do Tesouro e de outros ativos nos próximos meses pelo menos no atual ritmo. O balanço de ativos do Fed não traz riscos para a inflação. Não há pressa para subir os juros. Powell destacou que não existe uma promessa de manter a Fed Fund Rate no nível atual até 2022.

Ele descartou a adoção de taxas negativas de juros e não tem uma opinião formada sobre o controle da curva de juros. Powell prefere utilizar outros mecanismos, como o programa de quantative easing e forward guidance.”

Powell acredita que com a volta do crescimento a dívida pública voltará a recuar.

O presidente do Fed avaliou que os bancos nos EUA estão bem capitalizados e estão em melhor forma para enfrentar a situação atual do que quando ocorreu a crise em 2008.