Número de estudantes brasileiros envolvidos em frentes liberais tem crescido, tornando Brasil o segundo país mais forte nessa corrente, atrás apenas dos Estados Unidos

Despontam no Brasil grupos de estudos sobre a filosofia liberal: hoje são 101 espalhados pelo país. O número é o segundo maior no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, segundo o Students For Liberty Brasil (SFLB). A cidade com mais envolvidos é São Paulo (SP), seguida de Santa Maria (RS), Salvador (BA), Porto Alegre (RS) e Aracaju (SE). O SFLB estima que nos últimos quatro anos o número de adeptos cresceu mais de 600%, atingindo hoje mais de 1 mil jovens estudantes.

“Muitas pessoas ainda associam o liberalismo exclusivamente à economia, mas o movimento vai além disso. Nós defendemos todas as liberdades individuais, pois só com combinação de liberdade individual e econômica contribuiremos para um mundo mais justo para todos”, argumenta André Migliore Freo, Diretor Executivo do Students For Liberty Brasil. “Entendemos que todo cidadão deve ser livre para fazer suas escolhas individualmente. Por isso incentivamos o debate e o discurso sobre as diferentes filosofias”, conclui.

No Brasil desde 2012, a organização sem fins lucrativos tem como propósito educar, desenvolver e empoderar a próxima geração de líderes da liberdade. Em nível global, está presente em 110 países, sendo a maior organização estudantil em prol da liberdade do mundo. O SFLB identifica os principais líderes estudantis e os treina para serem agentes de mudança em suas comunidades.

“Esta é a nossa teoria da mudança social: enxergar talentos, desenvolvê-los e gerar transformação social a médio e longo prazo. O liberalismo é mais do que um viés político, é uma forma de ver a vida. Defendemos todas as liberdades individuais, pois só assim exploraremos nosso potencial máximo e contribuiremos para um mundo mais justo para todos”, explica Freo.

Muitos nomes passaram pela organização, entre eles Geanluca Lorenzon, atual Diretor Federal de Desburocratização do Ministério da Economia. Após o período universitário, os líderes que atuaram no SFLB colocam em prática os valores liberais nas posições influentes que exercem nas áreas acadêmica, de negócios, jornalismo, organizações sem fins lucrativos e política.

Presente no Brasil desde 2012, a organização é um braço do Students For Liberty, a maior organização estudantil em prol da liberdade do mundo, presente em 110 países. A organização sem fins lucrativos tem como propósito educar, desenvolver e empoderar a próxima geração de líderes da liberdade.