Estruturar e fazer funcionar um adequado sistema de performance se constitui em um dos principais desafios na implementação da estratégia. Implica em escolha de indicadores com capacidade explicativa do desempenho esperado dos objetivos estratégicos definidos.

Muito se argumenta, com razão, que as pessoas são a fonte de vantagem competitiva das organizações atuais. Embora o mapa estratégico – como poderoso instrumento de transição entre a elaboração e implementação estratégica – posicione de forma clara uma perspectiva para contemplar objetivos voltados para as pessoas, ainda persistem dificuldades de vincular os investimentos e desempenhos de recursos humanos e os efetivos retornos revelados pelos indicadores econômico-financeiros.

Por outro lado, é muito importante a compreensão que indicadores das áreas de recursos humanos não se restringem aos objetivos vinculados às perspectivas de pessoas ou patrimônio humano. É mais que isso, avança para combinar desempenho em outras perspectivas com aquelas estabelecidas para as pessoas, tal como os indicadores de produtividade.

A intenção com este trabalho é provocar reflexões para a efetiva inserção da área de Recursos Humanos no Planejamento Estratégico das empresas, apresentando vieses de análise e seus reflexos nos resultados tanto operacionais quanto financeiros.

São 27 (vinte e sete) indicadores apresentados da seguinte forma: