As micro e pequenas empresas abriram mais de 73 mil novos postos de trabalho, o melhor resultado para este mês dos últimos cinco anos, segundo levantamento do Sebrae, em todo o país.

Os pequenos negócios foram o único segmento a gerar novos empregos com carteira assinada em outubro deste ano. Segundo levantamento feito pelo Sebrae, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia, as micro e pequenas empresas criaram 73.398 postos de trabalho no mês passado, o melhor resultado dos últimos cinco anos. As médias e grandes corporações (MGE) registraram saldo negativo de 2.119 empregos, ou seja, mais demitiram do que contrataram. O mesmo aconteceu na administração pública, que dispensou 427 trabalhadores. Em 10 meses, as MPE abriram 752,4 mil vagas celetistas em todo o país.  

“Nossas pesquisas mostram que o empresário de pequeno negócio está retomando a confiança e o otimismo com a economia e isso se reflete na contratação de empregos. A proximidade com o Natal também já começa a aquecer o surgimento de vagas, principalmente no Comércio e nos Serviços”, analisa o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

No mês de outubro deste ano, as MPE do setor de Comércio lideraram a geração de emprego, sendo responsáveis pela criação de 32,5 mil novas vagas, sendo seguidas pelas micro e pequenas empresas da área de Serviços, que criaram 22,8 mil postos de trabalho. Os pequenos negócios da Construção Civil e da Indústria de Transformação também se destacaram contratando, respectivamente, 10,9 mil e 10,5 mil empregados.

De janeiro a outubro deste ano, os pequenos negócios já respondem pela criação de 752,4 mil novos empregos, 10 vezes mais que o saldo de empregos registrado pelas médias e grandes empresas e 10,5% acima do saldo registrado pelas próprias micro e pequenas empresas no mesmo período do ano passado. Já o total assinalado pelas MGE (72,4 mil empregos) encontra-se 45% abaixo do mesmo período de 2018. No acumulado deste ano até outubro, as MPE do setor de Serviços continuam puxando a geração de postos de trabalho no país, tendo sido responsáveis pela abertura de 408,8 mil novas vagas.

O saldo de empregos acumulado em 2019 pelas MPE (752 mil) já supera o registrado por este nicho de empresas em todo o ano de 2018. Mesmo considerando o saldo negativo que será apresentado em dezembro, dada à sazonalidade, a expectativa é que as MPE fechem 2019 com uma geração de empregos maior que a do ano passado. Uma vez mais, os pequenos negócios do estado de São Paulo puxaram o ranking de geração de empregos no país, abrindo 13,1 mil novas vagas, seguidos por Minas Gerais (8,3 mil empregos). No mês de outubro, os estados da região Sul se destacaram na geração de empregos, com a criação de 22,1 mil postos de trabalho. As MPE da região Sudeste assumiram a segunda posição no ranking, com 21,7 mil novos empregos.

Clique sobre a imagem para ampliá-la: