Bolsa de Valores registra maior saída de estrangeiros da história

“A fuga de dólares pelo canal financeiro – que engloba investimentos estrangeiros diretos, remessas de lucros e pagamentos de juros, entre outras operações – foi de US$ 8,545 bilhões em agosto. Com isso, o fluxo cambial fechou o mês no vermelho, com saídas superando as entradas em US$ 4,317 bilhões.

No ano, o fluxo cambial está negativo em US$ 6,526 bilhões. No mesmo período do ano passado, o fluxo estava positivo em US$ 24 bilhões. O canal financeiro registrou saída líquida de US$ 20,277 bilhões em 2019, resultante de entradas no valor de US$ 367,600 bilhões e de saídas no total de US$ 387,877 bilhões. Nos primeiros oito meses do ano passado, a saída na conta financeira somava US$ 12 bilhões.

Na Bolsa de Valores, em agosto, as saídas de capital estrangeiro totalizaram R$ 10,79 bilhões, resultado de R$ 190,08 bilhões em compras de ações e de R$ 200,87 bilhões em vendas, segundo dados da B3. Esta é a maior retirada líquida do mercado à vista em um único mês desde o começo da série histórica, em janeiro de 1996.

O comércio exterior registrou saldo positivo de US$ 4,229 bilhões em agosto. O resultado se deve ao fato de que as exportações somaram US$ 19,204 bilhões, contra US$ 14,975 bilhões de importações. No ano, o saldo desta conta está positivo em US$ 13,752 bilhões, resultado da diferença entre as importações, que somaram US$ 113,059 bilhões, e as exportações de US$ 126,811 bilhões.

Calculado com base nos saldos do fluxo financeiro, como investimentos em títulos, remessas de lucros e dividendos ao exterior e investimentos estrangeiros diretos, entre outras operações, e do fluxo comercial, que envolve operações de câmbio relacionadas a exportações e importações, o fluxo cambial é divulgado semanalmente e mensalmente pelo BC e indica o volume de divisas externas que entram ou saem do Brasil. (Fonte: Monitor Mercantil – 04.09.2019)