Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

XXII Ranking de Empresas Mineiras

Estamos trazendo a nossos leitores o estudo intitulado “XXII Ranking MercadoComum de Empresas Mineiras – 2018/2017” que, anualmente, vem sendo realizado pela MinasPart – Desenvolvimento Econômico e Empresarial Ltda. – pioneiro e inédito em seu gêne-ro em Minas Gerais. Contratada com exclusividade por MercadoComum – Publicação Nacional de Economia, Finanças e Negócios, a pesquisa revela importantes in-formações sobre a economia de Minas Gerais e contém, em especial, a classificaçãodas principais empresas com sede no estado. Destaca, ainda, vários e diferen-tes indicadores econômico-financeios relacionados ao contexto empresarial local. Em outra vertente, fornece relevantes informações que podem facilitar a análise e a compreensão da realidade econômica estadual e a interpretação dos diversos elos que compõem a sua ca-deia e capacidade produtiva.

Foram analisados mais de três mil balanços e de-monstrações de lucros e perdas relativos aos exercícios de 2017/2016, publicados até o dia 10 de setembro nos principais jornais com circulação em Minas Gerais. O estudo contém, ademais, outras contribuições e vários outros dados enviados diretamente à redação de Mer-cadoComum. Diversas informações foram extraídas, principalmente, dos relatórios de administração e das diretorias dessas empresas.

Do total dos balanços analisados, 441 empresas foram habilitadas a participar deste estudo e, desse total – 325 encontram-se classificadasentre as maiores do Estado. A linha de corte para as 250 Maiores Empre-sas de Minas foi para todos os valores inferiores a R$ 65,633 milhões nas Receitas Operacionais Líquidas de 2017. Isso significaque as empresas que detiveram um faturamento líquido inferior a esse patamar não foram consideradas para efeito desse comparativo.

O presente trabalho serviu, ademais, de embasa-mento técnico para a definiçãoe escolha das empresas vencedoras do XX Prêmio Minas – Desempenho Empre-sarial – 2018/2017, que também está sendo divulgado nesta edição de MercadoComum. Fornece, ainda, sub-sídios para a escolha, da Personalidade Empresarial de Minas de 2016, dessa mesma premiação.

Em 2017, o PIB-Produto Interno Bruto de Minas Gerais, de acordo com  estimativas preliminares da Fun-dação João Pinheiro alcançou R$ 573,7 bilhões, equiva-lentes a US$ 179,75 bilhões e correspondem a cerca de 8,75% do PIB nacional. Enquanto a economia brasileira registrou expansão de 1,0% – conforme dados divulga-dos pelo IBGE, a de Minas Gerais cresceu 0,60% de acordo com informações preliminares da FJP-Fundação João Pinheiro – estando a mesma sujeita a futuras revi-sões e confirmaçãoposterior por parte do IBGE, o que deverá somente ocorrer em novembro de 2018.

A maior receita operacional líquida registrada (R$ 26.567,42 milhões em 2017 pertence à FCA-Fiat Chrys-ler Aut. Bras. S.A. – seguida pela ArcelorMittal Brasil – R$ 18.618,84 milhões e Cemig Distribuição, com R$ 12.312,33 milhões. O maior lucro líquido apurado (R$ 1.653,35 milhão) foi da CBMM-Cia. Brasileira de Minera-ção e Metalurgia. A FCA – Fiat Chrysler também deteve o maior volume de ativos totais: R$ 32.610,66 milhões. O maior patrimônio líquido registrado – de R$ 13.774,80 milhões é da Usiminas – Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais S.A.

Para a elaboração deste XX Ranking de Em-presas Mineiras adotou-se, como critério geral, a utilização dos dados relativos à conta “Conglomera-do”, exceto em algumas poucas situações, como da Indústria da Construção Civil (MRV, Direcional etc), quando se optou por utilizar o critério “Consolida-do”. Algumas outras empresas, devidamente desta-cadas encerraram os seus exercícios fiscais em 31 de março de 2018 e os seus balanços não foram ajustados para fins deste estudo.

DETALHAMENTO DO ESTUDO

MercadoComum – Revista Nacional de Economia e Negócios está apresentando mais uma vez nesta edi-ção e, de forma inédita, o XXII Ranking MercadoComum de Empresas Mineiras.Todas as empresas com sede em Minas Gerais que, até o dia 10 de setembro, publicaram ou encaminharam diretamente à sua redação os seus balanços e demonstrações de resultados relativos ao exercício de 2016, estão contempladas neste estudo. Compreendendo um pouco mais de três mil empresas pesquisadas e abrangidas nesta pesquisa, são elas, em sua grande maioria, sociedades anônimas e poucas são de capital aberto com ações negociadas em bolsas de valores.

No entanto, várias empresas, mesmo dispensa-das da exigência de publicação de seus balanços e re-sultados, espontaneamente fizeramchegar à redação de MC os seus balanços, para que fossem incluídos nesse relevante documento sobre a realidade econômica do Estado.

Ao todo, a análise desenvolvida pela equipe téc-nica da MinasPart Desenvolvimento Empresarial e Eco-nômico Ltda. que elaborou este estudo abrange os di-versos setores da atividade econômica estadual e neles se encontra agrupado e classificadoo conjunto das 250 maiores empresas, as quais também podem ser encon-tradas por classificaçãoalfabética e setor de atividade econômica. 

No presente estudo foram segregadas da lista da 250 Maiores Empresas de Minas Gerais as em-presas financeirase de intermediação financeiras as cooperativas de crédito, seguradoras etc e que são em número de 50, com publicação destacada. Também as empresas holdings, de participação e de investimentos – em número de 25 foram listadas e analisadas à parte. Assim, na realidade, esta classi-ficaçãodas maiores empresas abrange um total de 325 empresas.

O estudo leva em consideração, para efeito da escolha das empresas objeto da análise, que o domicílio fiscaldas mesmas seja o de Minas Gerais. Assim, por exemplo, mesmo exercendo intensa ati-vidade econômica em Minas Gerais, os números da Vale S.A. não estão contemplados nas análises, ex-ceto quanto às exportações de seus produtos locais.

De outro lado, os valores consignados em todos os relatórios correspondem a reais correntes, isto é, não foram deflacionadospor índice de inflaçãoocorrida no pe-ríodo. Para todas e quaisquer rubricas, também os valores registrados dizem sempre respeito aos resultados apura-dos pela “Controladora”, não se levando em consideração aqueles apurados a título da “Empresa-Consolidado”. Ex-ceção é feita em relação à Direcional Engenharia S.A., à MRV Engenharia S.A. e algumas outras, em função de ca-racterísticas próprias desse setor. O faturamento – vendas – das empresas compreende a receita operacional líquida apurada, ou seja, corresponde ao total das vendas, sendo deduzidos os impostos incidentes e as devoluções, quan-do ocorrem.

Neste estudo, 14 das 250 maiores empresas ana-lisadas – ou 5,6% do total pertencem ao Setor Agrope-cuário, 145 – ou 58,0%%, ao Setor Industrial e outras 91 empresas (36,4%) são do Setor Terciário. 

A receita operacional líquida consolidada das 300 maiores empresas listadas neste estudo totalizou R$ 243,47 bilhões – o que corresponde a 42,5% do PIB-Pro-duto Interno Bruto estimado de Minas Gerais para 2017.