Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

O presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, defendeu a abertura de investimento do capital estrangeiro nas empresas aéreas nacionais – tema que vem sendo debatido há algum tempo. Durante audiência pública realizada na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços da Câmara dos Deputados para discutir o assunto, Lummertz afirmou que o objetivo do Instituto e do Ministério do Turismo é “aumentar a competitividade, o número de voos e de turistas viajando dentro do País”.

Representantes das companhias Latam e Gol se posicionaram totalmente a favor da participação de até 100% do capital estrangeiro, enquanto Azul e Avianca defenderam uma abertura gradual, começando em 49%. De acordo com Lummertz, a nova tentativa de abertura do setor ao capital estrangeiro faz parte do plano “Brasil Mais Turismo”, anunciado pelo governo federal em abril deste ano para estimular a atividade turística no Brasil. "A capitalização é importante e majoritária entre as companhias aqui presentes. A economia do setor aéreo tem importância fundamental para o País. Cuidados são necessários para legislar, mas não temos outra opção", disse ele.

"Estamos aqui, no lugar certo, ouvindo e discutindo um tema que as próprias aéreas concordam. Todo negócio que é debatido para o fortalecimento do Turismo é fundamental para a transcendência da economia brasileira. Nós, do setor turístico, somos favoráveis que isso aconteça, mesmo que sejam 49% ou 100%", disse o presidente da Embratur. Além das empresas aéreas Latam, Azul, Gol, Avianca e da Embratur, estiveram presentes à audiência pública representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT, do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) e parlamentares.

Argentina se mantém campeã de emissão de turistas ao Brasil

A entrada de sul-americanos no Brasil aumentou 9,1% entre 2015 e 2016, segundo o Anuário Estatístico do Turismo 2017. O resultado é acima da média, já que, no total, as chegadas ao Brasil tiveram um aumento de 4,3%. No ano passado, Argentina continuou liderando a emissão de turistas ao Brasil. Paraguai ultrapassou o Chile e alcançou o 3º lugar.

A Argentina, em 2016, contabilizou um aumento de 10,3%. Se em 2015, 2.079 milhões de argentinos vieram, no último ano, 2.294 milhões visitaram o País. O Paraguai ultrapassou o Chile e alcançou o terceiro lugar, com mais de 315 mil visitantes, acréscimo de 4,9%. Entre os países estratégicos sul-americanos, a Bolívia apresentou o maior incremento no ingresso de turistas ao Brasil (27,7%).

"No último ano, o Brasil recebeu a Olimpíada e a Paralimpíada, garantindo mais visibilidade para os nossos destinos. Além disso, a Embratur, em conjunto com as Embaixadas do Brasil e com os Comitês Descubra Brasil, promoveu destinos brasileiros relacionados aos mais diversos segmentos turísticos. Com a análise dos mercados estratégicos, o Instituto investe em promoção de forma acertada e com o objetivo também de aumentar o fluxo de turistas na América do Sul como um todo", comentou o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz.

Chegadas nos estados brasileiros

O Anuário Estatístico 2016 trouxe, ainda, dados da chegada de turistas ao Brasil por unidades da Federação. Santa Catarina teve um acréscimo de mais de 25% de turistas de 2015 para 2016, passando de quase 150 mil visitantes estrangeiros para mais de 200 mil. O Mato Grosso do Sul também teve incremento, passando de mais de 56 mil visitantes para mais de 77 mil – aumento de 26%.

O Paraná apresentou aumento na chegada de turistas estrangeiros de mais de 10% (de mais de 755 mil para quase 850 mil). No Rio de Janeiro, a variação foi de pouco mais de 7%, e no Rio Grande do Sul, o aumento foi de mais de 2%, entre outros estados que também receberam mais estrangeiros na comparação de 2015 com 2016. Fonte: Portal Brasil, com informações da Embratur

Rara parceria para o turismo: Brasil e Tunísia

O ministro do Turismo, Marx Beltrão e o ministro dos Negócios Estrangeiros da Tunísia, Khemaies Jhinaoui, discutiram possíveis parcerias que podem ampliar os investimentos, a promoção turística e a qualificação profissional no setor entre os dois países.

Durante a conversa, o ministro do turismo explicou sobre o programa brasileiro Brasil Mais Turismo, que tem potencial para alavancar a atividade econômica no Brasil. O programa abre também espaço para facilitar investimentos estrangeiros em serviços, infraestrutura e parcerias para qualificação de pessoal para o segmento.

Na ocasião, os ministros ressaltaram que a conectividade aérea poderá aproximar, facilitar o intercâmbio turístico e ampliar a promoção entre os dois países. A ligação direta entre os destinos poderá aumentar o fluxo de visitantes entre Brasil e Tunísia e permitir conexões para outros países do Norte da África e da Europa.

Tunísia 

O turismo é uma das principais atividades econômicas da Tunísia e responde por 7% do PIB do país do norte da África. As belezas naturais do Mar Mediterrâneo e sua história milenar fizeram da Tunísia um destino mundialmente conhecido, inclusive dos brasileiros. A capital, Túnis, fica a apenas uma hora de voo de Roma e a duas horas e meia das principais cidades europeias.

Brasil Mais Turismo

O programa Brasil Mais Turismo é um pacote de medidas para fortalecer o setor no Brasil. As ações têm como finalidade trazer soluções técnicas para gargalos históricos, aumentar o número de turistas nacionais e estrangeiros, contribuir para melhorar destinos nacionais, proporcionar o desenvolvimento regional e gerar emprego e renda. Fonte: Portal Brasil, com informações do MTur

México quer expor Relíquias do Barroco Brasileiro

A exposição "Oratórios – Relíquias do Barroco Brasileiro", que apresenta objetos e imagens sacras dos séculos XVII ao XX, deve ser apresentada ao público mexicano. Com o interesse de fortalecer o intercâmbio cultural entre Brasil e México, o ex-ministro da Cultura, Roberto Freire, reuniu-se, no final de abril, com o ministro Encarregado de Negócios da Embaixada do México, Eleazar Velasco, e o Conselheiro para Assuntos Culturais e Educativos daquele país, Guilhermo Palacios. A exposição apresenta objetos e imagens sacras dos séculos XVII ao XX e as peças pertencem ao acervo do Museu do Oratório, localizado em Ouro Preto, MG. Na oportunidade, Freire afirmou que é muito relevante manter a boa relação e integração na relação com o México, "que é um País com uma cultura muito rica".

Frida e Eu

Grandes exposições mexicanas passaram pelo Brasil nos últimos anos. Durante os Jogos Rio 2016, no ano passado, as caritas sonrientes – figuras de cerâmica com seus singulares sorrisos – destacaram-se na programação cultural do Museu Histórico Nacional na exposição "Magia do Sorriso no Golfo do México". O Museu também recebeu, durante o período do campeonato mundial, a mostra "Frida e Eu", voltada ao público infantil de 5 a 10 anos. A exposição promoveu a compreensão da linguagem da arte moderna por meio da vida e obra da artista mexicana Frida Kahlo. Fonte: Portal Brasil, com informações do MinC