Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

Mais uma vez, tive a oportunidade de liderar este estudo intitulado “XVIII Ranking MercadoComum de Empresas Mineiras – 2013”, que anualmente vem sendo realizado pela equipe da MinasPart – Desenvolvimento Econômico e Empresarial Ltda. Contratada sob exclusividade por MercadoComum – Publicação Nacional de Economia, Finanças e Negócios, a pesquisa revela importantes informações sobre a economia de Minas Gerais e, notadamente, a classificação das principais empresas com sede no estado e destaca vários e diferentes indicadores econômicofinanceiros.
Em outra vertente, fornece importantes pistas para a análise da realidade econômica estadual e a compreensão dos diversos elos que compõem a sua cadeia e capacidade produtiva.
Foram analisados mais de 3.000 balanços e demonstrações de lucros e perdas relativos ao exercício de 2013, publicados até o dia 20 de julho nos principais jornais com circulação em Minas Gerais, além de vários outros enviados diretamente à redação de MercadoComum. Diversas informações foram extraídas, principalmente, dos relatórios de administração e das diretorias dessas empresas.
O presente trabalho serviu, ademais, de embasamento técnico para a definição e escolha das empresas vencedoras do XVI Prêmio Minas – Desempenho Empresarial – 2013/2014, já divulgado na edição anterior de MercadoComum.
Em 2013, o PIB-Produto Interno Bruto de Minas Gerais, de acordo com dados preliminares, alcançou R$ 440,878 bilhões, equivalentes a US$ 204,120 bilhões, correspondendo a cerca de 9,1% do nacional.
Apurou-se que a maior empresa de Minas Gerais, considerando-se a ponderação das receitas operacionais líquidas, ativos totais e patrimônio líquido foi a USIMINAS – Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais S.A., cabendo destaque, ainda, à Arcelor- Mittal (2º lugar) e à Fiat Automóveis (3º lugar).
A maior receita operacional líquida registrada (R$ 23,528 bilhões) pertence à Fiat Automóveis. O maior lucro líquido (R$ 2,731 bilhões) apurado é da Samarco Mineração. A Usiminas detém o maior volume (R$ 29,327 bilhões) de ativos totais, bem como o maior patrimônio líquido registrado (R$ 16,712 bilhões).
A maior sociedade anônima mineira de capital aberto é a Cemig-Cia.
Energética de Minas Gerais, que contabilizou uma capitalização no valor de R$ 17,716 bilhões, segundo a cotação de suas ações na BMF&Bovespa, no último dia útil de 2013.
De acordo com estatísticas divulgadas pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, a Fiat Automóveis foi a maior empresa importadora de Minas Gerais em 2013, detendo um volume de importações que alcançou US$ 1,699 bilhão.
De outro lado, a Vale S.A. mais uma vez confirmou a sua posição de primeiro lugar nas exportações mineiras, atingindo um montante de US$ 13,139 bilhões em 2013, o que representa 36,35% do total das exportações mineiras. As exportações mineiras da Vale representaram 47,81% das suas exportações totais de US$ 25,570 bilhões, cabendo-lhe, ademais, a liderança absoluta das exportações nacionais. Em Minas, a liderança da Vale foi seguida pela CBMM (US$ 1,900 bilhão) e pela Namisa (US$ 1,457 bilhão), respectivamente.
Para a elaboração deste XVIII Ranking de Empresas Mineiras adotouse, como critério geral, a utilização dos dados relativos à conta “Conglomerado”, exceto em alguns poucos casos, como da Indústria da Construção (MRV e Direcional), quando se optou por utilizar o critério “Consolidado”. 
 
Detalhamento do estudo
 
MercadoComum – Revista Nacional de Economia e Negócios está apresentando mais uma vez nesta edição, de forma inédita, o XVIII Ranking MercadoComum de Empresas Mineiras..
Todas as empresas com sede em Minas Gerais que, até o dia 20 de julho, publicaram ou encaminharam diretamente à sua redação os seus balanços e demonstrações de resultados relativos ao exercício de 2013 estão contempladas neste estudo. Os principais itens econômico-financeiros dessas empresas encontram-se listados nas páginas seguintes..
Compreendendo mais de 3.000 empresas pesquisadas e abrangidas nesta pesquisa, são elas, em sua grande maioria, sociedades anônimas, poucas delas de capital aberto negociado em bolsas de valores..
No entanto, várias empresas, mesmo dispensadas da exigência de publicação de seus balanços e resultados, espontaneamente fizeram chegar à redação de MC os seus balanços, para que fossem incluídos nesse relevante documento sobre a realidade econômica do Estado..
Ao todo, a análise desenvolvida pela equipe técnica da MinasPart Desenvolvimento Empresarial e Econômico Ltda., que elaborou este estudo, abrange os diversos setores da atividade econômica estadual e neles se encontra agrupado e classificado o conjunto das 500 maiores empresas, as quais também podem ser encontradas por classificação alfabética..
Uma relação contendo os principais dados das 50 maiores empresas holdings também é encontrada nas páginas seguintes..
O estudo leva em consideração, para efeito da escolha das empresas objeto da análise, que o domicílio fiscal das mesmas seja o de Minas Gerais. Assim, por exemplo, mesmo exercendo intensa atividade econômica em Minas Gerais, os números da Vale S.A. não estão contemplados nas análises, exceto quanto às exportações de seus produtos locais..
De outro lado, os valores consignados em todos os relatórios correspondem a reais correntes, isto é, não deflacionados pela inflação ocorrida no período. Para todas e quaisquer rubricas, também os valores registrados dizem sempre respeito aos resultados apurados pela “Controladora”, não se levando em consideração aqueles apurados a título da “Empresa-Consolidado”..
Exceção é feita em relação à Direcional Engenharia S.A. e à MRV Engenharia S.A., em função de características próprias desse setor. O faturamento – vendas – das empresas compreende a receita operacional líquida apurada, ou seja, corresponde ao total das vendas, sendo deduzidos os impostos incidentes e as devoluções, quando ocorrem..
Neste estudo, 49,8% das 500 maiores empresas analisadas pertencem ao Setor Terciário, 43,4% ao Secundário e 6,8%, ao Setor Primário..
Entre as empresas compreendidas nesta análise, 73,89% registraram lucros em 2013 e 26,11%, prejuízos. Em 2012 foram 75,0% e 25,0%, respectivamente..
A receita operacional líquida real consolidada de todas as 500 empresas listadas neste estudo totalizou R$ 238,424 bilhões, registrando-se uma variação real de 2,72% em relação ao exercício anterior. Coincidentemente, este percentual é bastante próximo ao apurado pelo IBGE no cálculo do PIB brasileiro, que sofreu uma variação de 2,5% durante o mesmo período..
O valor total consolidado do lucro líquido apurado entre as 500 maiores empresas de Minas Gerais em 2013 foi de R$ 8.525,37 milhões – 56,61% inferior ao do ano anterior. Trata-se de uma das maiores quedas já verificadas desde que este estudo iniciou-se, há 18 anos..
Pode-se afirmar, com razoável grau de acerto, que o valor total das receitas operacionais líquidas, de R$ 238,424 bilhões apuradas neste estudo, corresponde a mais da metade do PIBProduto Interno Bruto estimado para o Estado de Minas Gerais em 2013 –, o que evidencia a representatividade deste levantamento. Segundo estimativas quanto à receita operacional líquida consolidada, as 500 maiores empresas mineiras representaram 54,08% do PIB estadual A receita operacional líquida da Fiat em 2013, de R$ 23,528 bilhões, foi equivalente a 5,34% do PIB mineiro..
Verifica-se, ademais, que das 25 maiores empresas, vinte delas são industriais e o faturamento líquido consolidado das mesas somou o equivalente a 36,54% do PIB de Minas Gerais.