*

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

José Domingos Furtado
Presidente da Apimec MG*

 

Mesmo com a expectativa de desaceleração e baixo crescimento da economia mundial nos próximos anos, o Banco Central aposta na retomada consistente da atividade econômica no país no segundo semestre de 2012. A afirmação foi feita pelo diretor de Política Monetária da instituição, Aldo Mendes, que realizou palestra para os associados da Apimec MG e convidados, em meados de abril.

Segundo o diretor do BC, o cenário externo atual contribui para levar a essa crença, pois os bancos centrais de países com economias avançadas adotaram políticas monetárias expansionistas, o que contribuiu para a redução da aversão ao risco no início de 2012.

“Além disso, dados recentes indicam que a retomada da economia norte-americana está em curso e a perspectiva de crescimento da China foi ajustada para baixo, porém ainda prevalece o cenário de pouso suave”, disse.

Internamente, de acordo com Aldo Mendes, outros fatores também justificam as expectativas positivas, como a inflação convergindo para o centro da meta em 2012, a postura de responsabilidade fiscal do governo brasileiro e a flexibilidade cambial do país, possibilitando maior atratividade de capitais internacionais produtivos.

Outros fatores citados como responsáveis pelo otimismo governamental são os sólidos fundamentos macroeconômicos resultantes do conjunto de políticas adotadas, proporcionando capacidade de absorver choques internos e externos, estabilidade macroeconômica e financeira e crescimento sustentável, com a taxa de desemprego no seu menor nível histórico, a massa salarial e rendimento real do trabalhador em trajetória de ascensão, o crescimento do crédito em taxas sustentáveis e a redução no nível de estoques da indústria brasileira nos últimos meses.

As vendas no varejo são outro fator citado pelo diretor Aldo Mendes como parte da visão positiva da equipe do Banco Central, já que elas se mantêm em ritmo de expansão desde o último trimestre de 2011 como resultado da elevação da renda e do crédito, redução do IPI para produtos da linha branca e preços em queda.

Conforme informado na palestra, o Brasil, atualmente, em razão do seu momento econômico, ocupa ainda o sexto lugar entre as principais economias mundiais em relação ao desempenho combinado entre crescimento do PIB e da taxa de emprego, à frente de países como Reino Unido, Itália, Rússia e Índia, mantendo US$ 355 bilhões em reservas internacionais.

Como todo cuidado é pouco neste momento ainda volátil do cenário econômico internacional, a expectativa é de que o otimismo do Banco Central se confirme e que o país possa também acertar-se em outros setores essenciais ao seu crescimento sustentado, como os de educação, infraestrutura, desenvolvimento humano e meio ambiente.