Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Donec nec mauris interdum, suscipit turpis eget, porta velit. Praesent dignissim sollicitudin mauris a accumsan. Integer laoreet metus

Vanucci analisa a trajetória de um guerreiro,
incansável adversário dos juros altos

 

O jornalista e escritor César Vanucci traz, com esta obra, importante contribuição sobre a vida, o trabalho, o
caráter e o espírito público de José Alencar, com quem conviveu durante longos anos na Federação das Indústrias
de Minas Gerais.. Por isso mesmo, é uma pessoa mais do que credenciada para dissecar o perfil de Alencar e a sua
trajetória como empresário e político, rica em ações de interesse público e exemplo de patriotismo e brasilidade.

Durante anos, Cesar Vanucci publicou uma série de artigos no Diário do Comércio, em que fala desde o ingresso de
Alencar na política, até a sua obsessão pelo desenvolvimento e a incansável, luta contra a alta taxa de juros, em defesa dos interesses de Minas.

Estes artigos estão reunidos em uma obra magnífica, em que revela o carinho que sempre nutriu pelo empresário
mineiro, narra e analisa episódios mais arcvantes da vida do ex-vice presidente…

Traz, também, importantes depoimentos ou artigos de amigos de José Alencar, entre os quais os do jornalista Deusdedith de Aquino, de Adriano Silva, qiue foi chefe de Gabinete de Alencar na vice-presidência da República,, do jornalista Amauri Machado, do empresário Ildeu da Silveira e Silva, do advogado e empresário Danilo Savassi, e da advogada Maria Hortência Fontão Teixeira.

O livro tem o prefácio de presidente da Federação das indústrias de Minas Gerais, Olavo Machado, que ressalta
o espírito empreendedor de José Alencar, ao afirmar que “Alencar foi, sim, um homem de muitas terras e de muitas
atividades. No entanto, umas e outras sempre convergiram para traduzir o que, de fato, ele foi: um grande brasileiro
dedicado e apaixonado pelo seu País. É assim que me lembro do Zé Alencar. É assim que reverencio sua memória”.
Vanucci relata no artigo intitulado “Um cara fabuloso”:
“Testemunha ocular, até por dever de ofício, de muitos acontecimentos relevantes destes nossos efervescentes
tempos (na verdade, trinta e cinco anos já completados por duas vezes consecutivas), carrego a certeira convicção
de que as manifestações de carinho da gente do povo, no adeus ao guerreiro JA, só podem encontrar equiparação
nas despedidas dadas pelas multidões, observada a ordem cronológica, a Vargas, a Juscelino e a Tancredo. Basta a
tal constatação para se aquilatar a magnitude do real papel desempenhado por Alencar na vice-presidência da república
brasileira. O sentimento das ruas não costuma falhar no julgamento de suas lideranças”.

Sobre a passagem de Alencar pelo sistema FIEMG, Vanucci afirma que “A passagem de José Alencar pelo Sistema Fiemg
fez história. Deixou marcas cintilantes. O traquejado dirigente soube dar prosseguimento, de forma magistral, ao excelente trabalho de seus ilustres antecessores”.

Sobre a luta contra juros quartos:
“O vice-presidente Jose Alencar, assumindo postura que o País inteiro está a aplaudir com entusiasmo, deu voz
à expectativa da população e dos setores produtivos..
“Cobrou coerência e fidelidade a princípios e compromissos importantes e inadiáveis”.
Sobre a entrevista concedida por Alencar a Ângela Drummond, do Diário do Comércio, em janeiro de 1997,
Vanucci escreveu:
“Naquele que pode ser considerado o mais vigoroso pronunciamento de um empresário de porte em tempos recentes, José Alencar Gomes da Silva lavou a alma de quem trabalha e produz, com a entrevista concedida Ângela
Drummon no Diário do Comércio Reconheceu-se, unanememente, que ele falou em nome de gente sem voz. Dos que podem, mas não se arriscam.. Dos que querem, mas não podem..
Vanucci afirma que Alencar abordou tudo com clareza: o saldo negativo da balança, o contrabando despudorado,
as péssimas negociações governamentais na esfera internacional, os gastos perdulários que inibem o equilíbrio
orçamentário e muito mais.
E, em muitos outros artigos, Vanucci fala da saga de Alencar como brasileiro corajoso, líder carismático, “que nunca
deixou de crer na vocação de grandeza de seu País e nas virtualidades de seu povo”.
Uma obra que merece ser lida, pelo profundo conteúdo humano que contém e pela fidelidade com que o autor
analisa a trajetória do empresário e político José Alencar.